首页 > 图书详情

有效的公共政策和活跃的公民权——巴西建立粮食及营养安全公共体系的经验 普通研究报告;政治学;国际政治学;拉美政治 VIP

售价:¥19.6 ¥49
0人在读 |
0 评分
丛书名:
ISBN:978-7-5097-4518-2
关键词: 巴西 扶贫

*温馨提示:此类商品为数字类产品,不支持退换货,不支持下载打印

图书简介 目录 参考文献 音频 视频
本文是乐施会(Oxfam)与巴西营养与人权行动组织(ABRANDH)的合作成果。乐施会是一个通过探寻可持续发展的方案来消除贫困和不公正的国际组织,拥有15个分支机构,项目遍及99个国家。巴西营养与人权行动是一个巴西非营利性的非政府组织,倡导民主和人权,尤其是获取足够食物的人权。 本报告介绍巴西构建一种新的治理框架的实践路径,这种治理框架中的公共政策能推动建立逐步消除饥饿和贫困的良性循环机制。
[展开]
  • 内容提要
  • 前言
  • 目标与涉及范围
  • 1 巴西的粮食及营养安全与获取足够食物的人权:实施中的路径
    1. 医疗领域和其他社会领域的贡献
    2. 公民社会的贡献及“零饥饿战略”的起源
  • 2 巴西的巨大挑战:消除饥饿与社会不公
  • 3 新的治理模式:保障获得足够食物的人权
    1. 何谓“国家粮食及营养安全体系”?
    2. 政策、规划以及国家体系之间如何相互联系
    3. 作为宪法权利的食物权
    4. 有关获得足够食物的人权法律框架
  • 4 全国粮食及营养安全委员会及其运转:如何实现社会参与
    1. 全国粮食及营养安全委员会的运作方式
    2. 公共政策中的干预手段
    3. 全国粮食及营养安全委员会顾问的角色
    4. 性别不平等和粮食及营养安全
  • 5 粮食及营养安全:巴西的概念与原则
  • 6 从“零饥饿战略”到“无赤贫巴西计划”
  • 7 巴西经验的启示
  • 着眼未来
    1. 关于巴西的社会构建
    2. 关于全球粮食及营养主权和安全
    3. 确立的原则
  • Resumo Executivo
  • A construção social de um sistema público de Segurança Alimentar e Nutricional
    1. Apresentação
  • Objetivos e escopo do documento
  • 1 Segurança Alimentar e Nutricional e o Direito Humano à Alimentação Adequada no Brasil:o caminho percorrido
    1. As contribuições do setor Saúde e de outros campos sociais
    2. A contribuição da sociedade civil e as origens do Fome Zero
  • 2 O grande desafio brasileiro:erradicar a fome e a desigualdade social
  • 3 Uma nova governança para a garantia do direito à alimentação
    1. O que é o Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional(SISAN)?
    2. Como se dá a inter-relação entre a Política(PNSAN),o Plano(PLANSAN)e o Sistema(SISAN)?
    3. Marco regulatório do Direito Humano à Alimentação Adequada(DHAA)no Brasil
  • 4 O que é e como funciona o CONSEA:como se dá a participação social
    1. Como trabalha o CONSEA
    2. Instrumentos de intervenção nas políticas públicas
    3. O papel dos conselheiros e conselheiras do CONSEA
    4. Desigualdade de gênero e segurança alimentar e nutricional
  • 5 A segurança alimentar e nutricional:conceitos e concepções no Brasil
  • 6 Da Estratégia Fome Zero ao Programa Brasil sem Miséria
  • 7 Lições aprendidas da experiência brasileira
  • Pensando o futuro
    1. Da construção brasileira
    2. Da soberania e segurança alimentar e nutricional global
    3. Consagrando princípios
  • Executive Summary
  • Effective public policies and active citizenship Brazil’s experience of building a Food and Nutrition Security System
    1. Introduction
  • Objectives and scope of the document
  • 1 Food and Nutrition Security and the Human Right to Adequate Food:the path taken
    1. Contributions from civil society and the origins of the Zero Hunger Project
  • 2 The great Brazilian challenge:to eradicate hunger and social inequality
  • 3 A new governance to ensure the human right to adequate food
    1. What is the National Food and Nutrition Security System(SISAN)?
    2. How the Policy,the Plan and the National System are inter-related
    3. Food as a constitutional right
    4. Regulatory Framework of the human right do adequate food
  • 4 What is CONSEA and how does social participation take place?
    1. How CONSEA operates
    2. Instruments of intervention in public policies
    3. Gender inequality and food and nutrition security
  • 5 Food and nutrition security:concepts and principles in Brazil
  • 6 From the Zero Hunger Strategy to the Brazil without Extreme Poverty Program
  • 7 Lessons learned from the Brazilian experience
  • Thinking about the future
    1. On Brazil´s social construction process
    2. On global food and nutrition sovereignty and security
    3. Enshrining principles
  • 附件 全国粮食及营养安全委员会构成
  • Siglas
  • Anexo-Composição do CONSEA Nacional
  • Acronyms
  • Annex-CONSEA’s members
[1]Abrandh. Ação Brasileira pela Nutrição e Direitos Humanos. Direito humano à alimentação adequada no contexto da segurança alimentar e nutricional. Valéria Burity et al. Brasília,2010. [2]Abrandh. Ação Brasileira pela Nutrição e Direitos Humanos. In:O direito humano à alimentação adequada e o sistema nacional de segurança alimentar e nutricional. Conteúdos do curso a distância disponíveis na plataforma eletrônica de ensino a distância. Brasília,2012. [3]ARANHA,A. V. Fome Zero:a construção de uma estratégia de combate à fome no Brasil. Coleção FOME ZERO:uma história brasileira,vol. I. Brasília,2010,p. 74-95. [4]BRASIL. Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada(IPEA). Mudanças recentes na pobreza brasileira. Comunicado nº 111,Brasília,agosto de 2011. [5]BRASIL. Ministério da Saúde. Fundação Nacional de Saúde(FUNASA). I Inquérito Nacional de Saúde e Nutrição dos Povos Indígenas. Consórcio ABRASCO(Associação Brasileira de Pós-Graduação em Saúde)& Institute of Ibero-American Studies,Goteborg University,Suécia. Brasília,2009. [6]BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa. A construção do SUS:histórias da reforma sanitária e do processo participativo. Brasília,2006. [7]BRASIL. Ministério das Relações Exteriores. Coordenação Geral das Ações Internacionais de Combate à Fome(CGFOME). Cooperação Humanitária Internacional:balanço 2006-2010. Brasília. [8]BRASIL. Presidência da República. Secretaria de Assuntos Estratégicos(SAE). Barros,R.;Mendonça,R.;Tsukada,R. Portas de saída,inclusão produtiva e erradicação da extrema pobreza,no Brasil. Brasília,2011. [9]CASTRO,Josué de.Geografia da Fome. 5a edição. Rio de Janeiro:Civilização Brasileira,2005. [10]CONSEA. Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional. A segurança alimentar e nutricional e o direito à alimentação adequada no Brasil. Indicadores e Monitoramento:da constituição de 1988 aos dias atuais. Brasília,2010. [11]IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. PNAD. Pesquisa Nacional de Amostra de Domicílio. Suplemento de Segurança Alimentar. Rio de Janeiro,2010. [12]INSTITUTO CIDADANIA. Projeto Fome Zero:uma proposta de política de segurança alimentar para o Brasil. São Paulo,2001. [13]LEÃO,M. M.;CASTRO,I. Políticas Públicas de Alimentação e Nutrição. Epidemiologia Nutricional. Org. Kac,G et al. Fiocruz e Atheneu. Rio de Janeiro,2007. [14]MALUF,R. Construção do SISAN,Mobilização e Participação Social. Coleção FOME ZERO:uma história brasileira,vol. II. Brasília,2010,p. 27-37. [15]MENEZES,F. Mobilização social e participação da sociedade civil. Coleção FOME ZERO:uma história brasileira,vol. I. Brasília,2010,p. 120-32. [16]PAIM,J. S. Reforma sanitária brasileira:contribuição para a compreensão e crítica. Salvador:Eduufba/Rio de Janeiro:Fiocruz,2008. [17]PELIANO,A. M. Lições da história:avanços e retrocessos na trajetória das políticas públicas de combate à fome e à pobreza no Brasil. Coleção FOME ZERO:uma história brasileira,vol. I. Brasília,2010,p. 26-41. [18]SILIPRANDI,E. Políticas de segurança alimentar e relações de gênero. Cadernos de Debate. Campinas,SP,v. XI,p. 38-57,dez 2004. [19]SILIPRANDI,E. Políticas de alimentação e papéis de gênero:desafios para uma maior eqüidade. Cadernos. SOF 64.109,2008. [20]SILVA,L. I.;SILVA,J.G. Política Nacional de Segurança Alimentar. São Paulo,Governo Paralelo,1991. [21]TAKAGI,M. A implantação do programa FOME ZERO do governo Lula. Coleção FOME ZERO:uma história brasileira,vol. I. Brasília,2010,p. 54-73. [22]Abrandh. Ação Brasileira pela Nutrição e Direitos Humanos. Direito humano à alimentação adequada no contexto da segurança alimentar e nutricional. Valéria Burity et al. Brasília,2010. [23]Abrandh. Ação Brasileira pela Nutrição e Direitos Humanos. In:O direito humano à alimentação adequada e o sistema nacional de segurança alimentar e nutricional. Conteúdos do curso a distância disponíveis na plataforma eletrônica de ensino a distância. Brasília,2012. [24]ARANHA,A. V. Fome Zero:a construção de uma estratégia de combate à fome no Brasil. Coleção FOME ZERO:uma história brasileira,vol. I. Brasília,2010,p. 74-95. [25]BRASIL. Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada(IPEA). Mudanças recentes na pobreza brasileira. Comunicado nº 111,Brasília,agosto de 2011. [26]BRASIL. Ministério da Saúde. Fundação Nacional de Saúde(FUNASA). I Inquérito Nacional de Saúde e Nutrição dos Povos Indígenas. Consórcio ABRASCO(Associação Brasileira de Pós-Graduação em Saúde)& Institute of Ibero-American Studies,Goteborg University,Suécia. Brasília,2009. [27]BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa. A construção do SUS:histórias da reforma sanitária e do processo participativo. Brasília,2006. [28]BRASIL. Ministério das Relações Exteriores. Coordenação Geral das Ações Internacionais de Combate à Fome(CGFOME). Cooperação Humanitária Internacional:balanço 2006-2010. Brasília. [29]BRASIL. Presidência da República. Secretaria de Assuntos Estratégicos(SAE). Barros,R.;Mendonça,R.;Tsukada,R. Portas de saída,inclusão produtiva e erradicação da extrema pobreza,no Brasil. Brasília,2011. [30]CASTRO,Josué de.Geografia da Fome. 5a edição. Rio de Janeiro:Civilização Brasileira,2005. [31]CONSEA. Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional. A segurança alimentar e nutricional e o direito à alimentação adequada no Brasil. Indicadores e Monitoramento:da constituição de 1988 aos dias atuais. Brasília,2010. [32]IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. PNAD. Pesquisa Nacional de Amostra de Domicílio. Suplemento de Segurança Alimentar. Rio de Janeiro,2010. [33]INSTITUTO CIDADANIA. Projeto Fome Zero:uma proposta de política de segurança alimentar para o Brasil. São Paulo,2001. [34]LEÃO,M. M.;CASTRO,I. Políticas Públicas de Alimentação e Nutrição. Epidemiologia Nutricional. Org. Kac,G et al. Fiocruz e Atheneu. Rio de Janeiro,2007. [35]MALUF,R. Construção do SISAN,Mobilização e Participação Social. Coleção FOME ZERO:uma história brasileira,vol. II. Brasília,2010,p. 27-37. [36]MENEZES,F. Mobilização social e participação da sociedade civil. Coleção FOME ZERO:uma história brasileira,vol. I. Brasília,2010,p. 120-32. [37]PAIM,J. S. Reforma sanitária brasileira:contribuição para a compreensão e crítica. Salvador:Eduufba/Rio de Janeiro:Fiocruz,2008. [38]PELIANO,A. M. Lições da história:avanços e retrocessos na trajetória das políticas públicas de combate à fome e à pobreza no Brasil. Coleção FOME ZERO:uma história brasileira,vol. I. Brasília,2010,p. 26-41. [39]SILIPRANDI,E. Políticas de segurança alimentar e relações de gênero. Cadernos de Debate. Campinas,SP,v. XI,p. 38-57,dez 2004. [40]SILIPRANDI,E. Políticas de alimentação e papéis de gênero:desafios para uma maior eqüidade. Cadernos. SOF 64.109,2008. [41]SILVA,L. I.;SILVA,J.G. Política Nacional de Segurança Alimentar. São Paulo,Governo Paralelo,1991. [42]TAKAGI,M. A implantação do programa FOME ZERO do governo Lula. Coleção FOME ZERO:uma história brasileira,vol. I. Brasília,2010,p. 54-73. [43]ABRANDH. Ação Brasileira pela Nutrição e Direitos Humanos. Direito humano à alimentação adequada no contexto da segurança alimentar e nutricional. Valéria Burity et al. Brasília,2010. [44]ABRANDH. Ação Brasileira pela Nutrição e Direitos Humanos. In:O direito humano à alimentação adequada e o sistema nacional de segurança alimentar e nutricional. Conteúdos do curso a distância disponíveis na plataforma eletrônica de ensino a distância. Brasília,2012. [45]ARANHA,A. V. Fome Zero:a construção de uma estratégia de combate à fome no Brasil. Coleção FOME ZERO:uma história brasileira,vol. I. Brasília,2010,p. 74-95. [46]BRASIL. Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada(IPEA). Mudanças recentes na pobreza brasileira. Comunicado nº 111,Brasília,agosto de 2011. [47]BRASIL. Ministério da Saúde. Fundação Nacional de Saúde(FUNASA). I Inquérito Nacional de Saúde e Nutrição dos Povos Indígenas. Consórcio ABRASCO(Associação Brasileira de Pós-Graduação em Saúde)& Institute of Ibero-American Studies,Goteborg University,Suécia. Brasília,2009. [48]BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa. A construção do SUS:histórias da reforma sanitária e do processo participativo. Brasília,2006. [49]BRASIL. Ministério das Relações Exteriores. Coordenação Geral das Ações Internacionais de Combate à Fome(CGFOME). Cooperação Humanitária Internacional:balanço 2006-2010. Brasília. [50]BRASIL. Presidência da República. Secretaria de Assuntos Estratégicos(SAE). Barros,R.;Mendonça,R.;Tsukada,R. Portas de saída,inclusão produtiva e erradicação da extrema pobreza,no Brasil. Brasília,2011. [51]CASTRO,Josué de.Geografia da Fome. 5a edição. Rio de Janeiro:Civilização Brasileira,2005. [52]CONSEA. Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional. A segurança alimentar e nutricional e o direito à alimentação adequada no Brasil. Indicadores e Monitoramento:da constituição de 1988 aos dias atuais. Brasília,2010. [53]IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. PNAD. Pesquisa Nacional de Amostra de Domicílio. Suplemento de Segurança Alimentar. Rio de Janeiro,2010. [54]INSTITUTO CIDADANIA. Projeto Fome Zero:uma proposta de política de segurança alimentar para o Brasil. São Paulo,2001. [55]LEÃO,M. M.;CASTRO,I. Políticas Públicas de Alimentação e Nutrição. Epidemiologia Nutricional. Org. Kac,G et al. Fiocruz e Atheneu. Rio de Janeiro,2007. [56]MALUF,R. Construção do SISAN,Mobilização e Participação Social. Coleção FOME ZERO:uma história brasileira,vol. II. Brasília,2010,p. 27-37. [57]MENEZES,F. Mobilização social e participação da sociedade civil. Coleção FOME ZERO:uma história brasileira,vol. I. Brasília,2010,p. 120-32. [58]PAIM,J. S. Reforma sanitária brasileira:contribuição para a compreensão e crítica. Salvador:Eduufba/Rio de Janeiro:Fiocruz,2008. [59]PELIANO,A. M. Lições da história:avanços e retrocessos na trajetória das políticas públicas de combate à fome e à pobreza no Brasil. Coleção FOME ZERO:uma história brasileira,vol. I. Brasília,2010,p. 26-41. [60]SILIPRANDI,E. Políticas de segurança alimentar e relações de gênero. Cadernos de Debate. Campinas,SP,v. XI,p. 38-57,dez 2004. [61]SILIPRANDI,E. Políticas de alimentação e papéis de gênero:desafios para uma maior eqüidade. Cadernos. SOF 64.109,2008. [62]SILVA,L. I.;SILVA,J.G. Política Nacional de Segurança Alimentar. São Paulo,Governo Paralelo,1991. [63]TAKAGI,M. A implantação do programa FOME ZERO do governo Lula. Coleção FOME ZERO:uma história brasileira,vol. I. Brasília,2010,p. 54-73.
[展开]

相关推荐

发表评论

同步转发到先晓茶馆

发表评论

手机可扫码阅读